Assign modules on offcanvas module position to make them visible in the sidebar.

Our school

Tags

Identidade da Instituição

 

“A águia pode viver mais de setenta anos. Mas, para chegar a essa idade, aos quarenta anos ela tem que tomar uma difícil decisão: morrer...ou enfrentar um profundo e doloroso processo de renovação que dura cerca de cinco meses, em que arranca seu próprio bico e depois que o novo cresce ela arranca suas velhas garras e penas.

E, então, com. o bico, garra e pena renovados a águia voa para viver plenamente mais outras décadas.”

                                                                                                                                   BAKHTIN,1992

 

Em 1960, foi fundado o Ginásio Rio da Prata tendo iniciado suas atividades pedagógicas em 1962, autorizadas pela portaria nº255/63MEC, com quatro turmas de 5ª série do ensino fundamental, totalizando 200 alunos.

Desde o início de suas atividades o Colégio Rio da Prata vem funcionando em prédio especialmente construído para abrigo desta Instituição de ensino.  Tendo como um de seus fundadores o Professor Walter Jose Antonio, que durante os 55 anos de existência tem estado à frente desta Instituição.

Preenchendo uma lacuna na área educacional do bairro de Bangu, conquistando aprovação e ampla confiança da comunidade, o Ginásio Rio da Prata, depois Colégio Rio da Prata.

Em 1967, iniciou-se uma nova fase de atendimento á comunidade com os cursos científico, normal técnico em contabilidade, eletrônica, magistério em educação física e posteriormente, também com os cursos técnicos de informática, enfermagem e telecomunicações.

Desenvolvendo atividades extracurriculares e atendendo carências sociais esportivas, dedicou-se o Colégio Rio da Prata, com grande sucesso, à prática esportiva, em função dos cursos de técnico e normal em educação física.

Durante mais de 20 anos, manteve o Colégio em suas quadras de esportes, em horário alternativo às aulas, equipes de futebol de salão, handebol, voleibol, artes marciais e atletismo com muito sucesso, mantendo os jovens da região ocupados em atividades sociais positivas.

O Colégio Rio da Prata atende ao alunado distribuído na educação infantil, ensino fundamental primeiro e segundo segmento e ensino médio, ocupando salas amplas e climatizadas com aulas regulares, laboratórios de informática, auditório totalmente equipado, laboratório de montagem e manutenção de micro computadores e biblioteca, contamos com diversos espaços para atividades de extensão e desportivas.

A Equipe Pedagógica e o corpo docente são formados por profissionais qualificados e todos com ensino superior. A nossa gestão é marcada por transformação, especialmente no que se refere a algumas concepções e aspectos básicos:

@ da ótica fragmentada para globalização, em que todos participam da organização escolar, de forma interativa.

@ da limitação de responsabilidade pelos resultados para a sua extensão, promovendo a redefinição de responsabilidades , centradas no todo, independentemente das funções diferenciadas.

@ da ação episódica para o processo contínuo, porque a ação centrada em eventos é vazia de resultados , e a educação é um processo longo e contínuo.

@ da hierarquização e burocratização para coordenação, pois a organização coletiva depende de contribuição individual , mas em ações coordenadas.

@ da ação individual para coletiva, porque o espírito de equipe, a  participação e a democracia são o grande desafio da gestão.

A nossa gestão escolar associa-se, pois, à democratização e à participação consciente e responsável de toda a comunidade escolar no processo decisório, em ações articulares e conjuntas, visando a um ensino de qualidade.

A metodologia baseia-se no sócio-interacionismo com apoio do material didático Rede Moderna de Ensino. Seguindo a nossa tendência inovadora e pioneira, antenado com as mudanças no processo pedagógico – educacional, em 2014, associou-se a Rede Moderna de Ensino oferecendo ao nosso alunado o que há de mais moderno no processo ensino – aprendizagem e com inclusão digital, onde as aulas são ministradas com apoio da informática em projeções utilizando data show. A Rede Moderna está presente em todos estados da federação e também no exterior, tendo um grande índice de aprovação no vestibular e no Enem.

Em 2014, o Colégio vem inovar uma vez lançando a primeira edição de nosso jornal.  O nosso jornal tem como objetivos:

@ entrar em contato com o mercado de trabalho;

@ trabalhar em equipe e conviver com as diferenças;

@ debater sem discutir;

@ ter responsabilidade.

 

Hoje o alunado é quem deve buscar o conhecimento. A tendência do mundo globalizado do mercado de trabalho é esta. È assim que devemos formá-los. È uma exigência dos novos tempos.

Oferecer um ambiente favorável à formação do ser humano, através de uma estrutura educacional inovadora e diferenciada, contribuindo para uma melhor qualidade de vida da comunidade escolar e da sociedade.


Sermos reconhecidos como uma referência de instituição educacional em nossa região, buscando a formação de um cidadão crítico e autônomo.

ü  A formação do aluno deve superar as expectativas do mercado de trabalho;

ü  Desenvolvimento das habilidades e competências;

ü  Engajamento, satisfação, equilíbrio e entusiasmo dos alunos e educadores;

ü  Amor, honestidade, responsabilidade, solidariedade, justiça, criatividade, respeito, amizade, lealdade, coerência e comprometimento são indispensáveis para o cumprimento da nossa missão..

@Aliar informação com formação; isto é, trabalhar e formar os pré-requisitos técnicos e humanos no aluno, preparando-o para receber informação técnica de ponta e desenvolver a sua capacidade empreendedora;

@ Estimular o desenvolvimento humano do aluno, visando o seu crescimento profissional no mercado de trabalho, baseado em princípios éticos e morais;

@ Formar profissionais capazes de gerar e aplicar conhecimento e tecnologia de maneira criativa. Por este motivo, privilegiamos a formação conceitual para garantir ao aluno um desenvolvimento sólido; valorizamos a aprendizagem contínua e estimulamos a busca e ampliação das competências requeridas pelo mercado;

@ Desenvolver habilidades conceituais que melhorem o desempenho prático dos profissionais, fortalecer e aprofundar a formação em áreas específicas e facilitar a investigação de soluções adequadas à realidade profissional. Atualizar informações, difundir novos conceitos, conhecer novas teorias e incorporar inovações;

@Acompanhar as principais inovações tecnológicas ocorridas no plano nacional e mundial, principalmente as decorrentes de pesquisas, introdução de produtos e processos, e novas técnicas de ensino;

@ Formular programas que incorporem a identificação das competências críticas empresariais e humanas e reflitam o compromisso com a cidadania empresarial;

@ Introduzir modelos comportamentais voltados para o aprendizado permanente, de forma a proporcionar a contínua atualização dos conhecimentos. Oferecer cursos de acordo com o que o mercado pede, sendo isto identificado através de pesquisas;

@Estender à comunidade as atividades, visando à elevação do nível sócio - econômico-cultural.


Os objetivos organizacionais indicam as metas que o colégio pretende atingir:

@ manter a credibilidade da comunidade, convidando sempre para eventos extra curriculares,

@aumentar o número de alunos;

@estimular a formação continua dos funcionários para melhoria na prática das atividades escolares;

@aumentar o número de funcionários, para atender a nova demanda de alunos;

@Adquirir, materiais e equipamentos tecnológicos para melhorar atividades escolares;

@contratar uma psicopedagoga ou orientadora educacional para atuar na instituição para atendimento ao responsáveis e os alunos

“... Ensinar é necessário, avaliar é possível”

 O sócio-interacionista para a internacionalização da aprendizagem, em um processo intrapessoal como  elemento chave na construção do conhecimento. E, para tal, é necessário o desenvolvimento de certas habilidades cognitivas e de capital cultural, ligadas a um material polifônico, a ambientes virtuais e à tutoria. para uma possível e promissora avaliação no espaço relacional e dialógico.

A abordagem sócio - interacionista concebe a aprendizagem como um fenômeno que se realiza na interação com o outro. A aprendizagem acontece por meio da internalização, a partir de um processo anterior, de troca, que possui uma dimensão coletiva. Segundo Vigotsky, a aprendizagem deflagra vários processos internos de desenvolvimento mental, que tomam corpo somente quando o sujeito interage com objetos e sujeitos em cooperação. Uma vez internalizados, esses processos tornam-se parte das aquisições do desenvolvimento.

Assim, um processo interpessoal é transformado num processo intrapessoal. Todas as funções no desenvolvimento da criança aparecem duas vezes no ciclo do desenvolvimento humano: primeiro, no nível social, e, depois, no nível individual; primeiro, entre pessoas (interpsicológica), e, depois, no interior da criança (intrapsicológica). Isso se aplica igualmente para a atenção voluntária, para a memória lógica e para a formação de conceitos. Todas as funções superiores originam-se, segundo Vygotsky (1998, p. 75), das relações reais entre indivíduos humanos.

Para ele existem dois níveis de conhecimento: o real e o potencial. No primeiro o indivíduo é capaz de realizar tarefas com independência, e caracteriza-se pelo desenvolvimento já consolidado. No segundo, o indivíduo só é capaz de realizar tarefas com a ajuda do outro, o que denota desenvolvimento, porque não é em qualquer etapa da vida que um indivíduo pode resolver problemas com a ajuda de outras pessoas.

Partindo desses dois níveis, Vygotsky define a zona de desenvolvimento proximal como a distância entre o conhecimento real e o potencial; nela estão as funções psicológicas ainda não consolidadas.

Ela é a distância entre o nível de desenvolvimento real, que se costuma determinar através da solução independente de problemas, e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através da solução de problemas sob a orientação de um adulto ou em colaboração com companheiros mais capazes. (Vygotsky, op. cit., p. 112).

O conceito de interação com o qual trabalha o sócio - interacionismo não é um conceito amplo e apenas opinativo, mas significa, no âmbito do processo de aprendizagem, especificamente, afetação mútua (Villardi, 2001), uma dinâmica onde a ação ou o discurso do outro causam modificações na forma de pensar e agir, interferindo no modo como a elaboração e a apropriação do conhecimento se consolidarão.

As proposições do sócio - interacionismo podem ser consideradas absolutamente compatíveis com as exigências das novas formas de relação com o conhecimento, em função do caráter relacional dessa proposta. O conhecimento deixa de ser consumido, assimilado passivamente e passa a ser produto de processos de elaboração e construção.

A sala trabalho em grupo, com o mesmo propósito, mas sem uma questão provocativa, é um espaço mais aberto a novas questões, onde os alunos têm liberdade de estudar, juntos, à revelia até mesmo da presença do professor.

O e-mail, por meio do qual o aluno pode se comunicar com outro aluno, ou com o professor preserva uma instância comunicativa mais íntima, individual, um a um, enquanto a lista de discussão é utilizada para a comunicação simultânea com todo o grupo.

No portfólio, o aluno escreve seu “diário de bordo”, registrando e acompanhando sua aprendizagem, para uma posterior reflexão sobre seu percurso. Enfim, o aporte tecnológico permitirá o atendimento das necessidades de cada aluno nas mais diferentes situações comunicativas, em ambientes análogos aos viáveis na educação presencial.

Não se trata aqui de utilizar a qualquer custo as tecnologias, mas sim de acompanhar consciente e deliberadamente uma mudança de civilização que está questionando profundamente as formas institucionais, as mentalidades e cultura dos sistemas educativos tradicionais e, notadamente, os papéis de professor e aluno.

É necessário que o docente abdique de sua antiga posição, a de transmissor do saber para, em conjunto com os alunos, tornar-se o elemento que, por ser mais experiente, vai coordenar as ações das quais derivarão a aprendizagem dos alunos, das quais emergirá a construção do conhecimento. É preciso que ele esteja disposto a não só oferecer, como também a fomentar a troca de informações e de experiências, para que dessa associação possa surgir um conhecimento que se incorpore a todos os envolvidos.

Avaliar é possível...

            Se a abordagem sócio - interacionista entende a aprendizagem como um fenômeno que ocorre no espaço relacional e dialógico com o outro, é necessário que a avaliação seja suficientemente abrangente para envolver diversos aspectos, como:

@O alunado, com suas funções cognitivas e aspectos afetivos (valores, atitudes, emoções) e os níveis de conhecimento (potencial e real).

@O docente e a sua visão do processo, o que ele desejava ensinar, suas expectativas e aspirações.

@A interação que ocorre entre ambos (modalidades, ritmos, recursos mediadores, a ação sobre a zona de desenvolvimento proximal do alunado e do docente, já que ambos aprendem neste processo).

@O processo ensino – aprendizagem como um todo, incluindo o seu “envoltório” sócio – histórico (meta – avaliação).

Não podemos desconhecer ainda que esta avaliação, para corresponder a um enfoque sócio – interacionista, deve possuir alguns atributos ou qualidades:

@Enfoque pedagógico consistente e coerente com a proposta do curso desenvolvido.

@Explicitação de metas, critérios, padrões.

@Proposição de atividades autênticas e holísticas (indicadoras de possibilidades de interdisciplinaridade).

@Grau facilitador da estrutura avaliativa, entre a auto – gestão do conhecimento e a diretividade do processo ensino – aprendizagem.

@Característica formativa (de acompanhamento do processo), suficiente e oportunamente realizada, e conjugada  com as características diagnóstica e somativa do processo.

@Consciência do contexto de aprendizagem, em interação com as características do aprendente.